MPF-AL pede realização de novo teste de aptidão física do concurso da PRF em Maceió

Postado em 20 de Setembro de 2021 ás 18:20

Órgão deu entrada com pedido de liminar contra a União Federal e o Cebraspe. Candidatos alegam que foram prejudicados pela falta de estrutura no local do teste, realizado no Ifal. MPF pede realização de novo teste de aptidão física do concurso da PRF
O Ministério Público Federal em Alagoas (MPF-AL) entrou com ação civil pública para que os candidatos reprovados no Teste de Aptidão Física (TAF), da segunda fase do concurso da Polícia Rodoviária Federal (PRF), tenham a participação garantida nas próximas fases do concurso público até que o julgamento de mérito.
Candidatos alegam que foram prejudicados por causa da falta de estrutura do local onde o teste foi realizado. O pedido de liminar foi contra a União Federal e o Centro Brasileiro de Pesquisas em Avaliação e Seleção de Promoção de Eventos (Cebraspe). O TAF ocorreu no Instituto Federal de Alagoas (IFAL), em Maceió.
O MPF quer que a Justiça Federal determine a adoção de providências para que os candidatos reprovados possam cumprir com as exigências das fases que se seguem ao TAF até o presente momento, e que um novo teste seja realizado. As provas objetivas e discursivas foram feitas no dia 9 de maio e o resultado foi divulgado no dia 28 do mesmo mês.
Os concorrentes identificaram diversas irregularidades físicas que, segundo eles, comprometeram a execução correta dos testes, especialmente quando comparado com outros locais em diferentes Estados do Brasil.
Apesar de oficiada para apresentar as justificativas, a Cebraspe não respondeu aos questionamentos do MPF e ainda deu continuidade ao processo de seleção dos candidatos. Com a divulgação do resultado definitivo, percebeu-se que o cenário já se repetiu em momentos anteriores, mantidas as avaliações, considerando as mesmas condições físicas irregulares observadas no IFAL.
Mesmo diante do desrespeito ao princípio constitucional da isonomia, a Cebraspe vem dando andamento ao concurso, e com isso, vários candidatos que realizaram as provas físicas em Alagoas estão prejudicados.
Pista escorregadia e com obstáculos
Segundo os candidatos reprovados, o local escolhido para a aplicação do teste estava com o piso molhado e aparentava ser lodo, escorregadio, sendo assim inadequado para o TAF. Foram identificadas diversas irregularidades físicas. As condições estruturais poderiam provocar lesão e comprometer a continuidade dos candidatos nas demais etapas.
Segundo o edital do concurso, o teste de impulsão horizontal deveria ser realizado em piso adequado. O executante iniciaria a impulsão em uma superfície rígida e plana e a queda seria em caixa de areia, para amortecimento do salto. No entanto, o candidato que realizou a prova em Maceió, não contou com uma superfície plana e rígida, e ainda precisou desviar de obstáculos presentes na área de prova, além de terem relatado que houve diferença na forma de verificar a distância do salto entre os candidatos.
Candidatos do concurso da PRF alegam que foram prejudicados com falta de estruturas no local onde ocorreu o Teste de Aptidão Física (TAF), em Maceió
MPF-AL
Foram encontradas irregularidades no local onde foi feito o TAF do concurso da PRF, em Maceió
MPF-AL
Assista aos vídeos mais recentes do G1 AL
Veja mais notícias da região no G1 Alagoas
OUÇA AO VIVO
-