Funcionário flagrado sufocando cachorro durante tosa em Maceió, tem passagem pela polícia por homicídio

Postado em 20 de Janeiro de 2022 ás 21:28

Davi Silva dos Santos disse que estava estressado. Clínica informou que não tinha conhecimento sobre antecedentes criminais do funcionário que também responde por receptação. Cachorro deixado para tosa é morto em clínica veterinária de Maceió
O funcionário de uma clínica veterinária, onde um cachorro morreu durante uma tosa, em Maceió, já responde por outros crimes na justiça. Segundo a polícia, Davi Silva dos Santos, de 24 anos, tem passagens por homicídio e receptação. Ele foi preso em flagrante nesta quinta-feira (20).
O advogado da clínica É o Bicho, Napoleão Lima Júnior, disse que a direção não tinha conhecimento dos antecedentes criminais do funcionário que estava trabalhava na clínica há cerca de três meses.
"Lamentavelmente empresas não têm como a gente verificar antecedentes. Geralmente quando a pessoa trabalha em outra empresa, a gente pede informações, mas a gente não teve identificação nenhuma em relação a isso", explicou o advogado dizendo ainda que foram informados pela polícia sobre os crimes praticados anteriormente por Davi.
A tutora do animal, Maria Eduarda Cavalcante, contou que ele era dócil, nunca havia mordido ninguém. Ele havia sido deixado no local para tomar banho junto com outro cão pertencente à família.
"A gente tem outra fêmea. Por volta das 9h30 da manhã ligaram para meu pai retornar à clínica porque havia acontecido um acidente. Quando meu pai chegou lá, disseram que ele tinha tido uma parada", disse ela.
A ocorrência foi atendida pela Polícia Militar. No relato colhido no local pelos militares, ao perceber que o cachorro estava desfalecido após ter sido puxado com violência, o funcionário deixou a sala de tosa e avisou outras pessoas que o animal tinha desmaiado. Uma equipe da clínica levou o cão para ser reanimado, mas ele não resistiu. Somente quando verificaram as imagens do circuito de segurança é que percebem o ocorrido e acionaram a polícia.
Ao ser ouvido pelo delegado Leonam Pinheiro, Davi Silva diz que "estava estressado", mas nega ter matado o animal.
"Ele será responsabilizado pelo crime de maus tratos, que tem uma pena de até cinco anos de reclusão acrescida de um terço quando há o resultado morte que foi o que infelizmente veio a acontecer", disse o delegado.
O Procon Maceió informou que a clínica também pode ser responsabilizada pelo ocorrido, respondendo por danos materiais e morais, já que tem responsabilidade sobre a segurança do animais.
Cachorro é morto em Maceió durante tosa em clínica veterinária
Reprodução/ TV Gazeta
Assista aos vídeos mais recentes do g1 AL
Veja mais notícias da região no g1 AL
OUÇA AO VIVO
-